Resenha: TORNEIO DE SANGUE – E. Cichocki

20170904_092633.jpg

Olá leitores amigos, tudo bem com vocês? Hoje venho feliz da vida para trazer à vocês mais uma indicação de livro. Então bora lá porque a indicação de hoje tem vampiros, uma Ordem Templária, um torneio medieval e um certo suspense…tudo isso junto porque nós gostamos e muitoooo!

Essa é a segunda resenha que eu trago do autor, eu falei aqui sobre As 108 Borboletas da Alma, que foi seu segundo livro. Enquanto As 108 Borboletas da Alma nos aquece o coração com uma delicada narrativa sobre a jornada de uma alma suicída, Torneio de Sangue veio para nos transportar para uma nova caminhada por onde vamos nos aventurar com um certo deleite nessa trama envolvente e que promete nos conquistar a cada livro. Torneio de Sangue Crônicas da saga Devoradores do Sol é apenas o primeiro livro, e da o pontapé inicial para esse saga.

Com menos de duzentas páginas, Torneio de Sangue é uma introdução ao universo apresentado pelo autor que vai contar com uma Ordem antiga formada pela Igreja, que guardam verdadeiros mistérios de eras passadas, e com personagens intrigantes, fortes e envolventes.

Sinopse:

A ORDEM DOS Nove-Raios é a forma mais segura que a Igreja encontrou para resgatar artefatos de eras passadas. Na época em que os vampiros ainda reinavam sobre o mundo, o clero teve de tomar uma decisão: originar uma guerra. Setecentos anos após a extinção dos devoradores de sangue, cabe hoje aos membros da Ordem reaver antigas tumbas, preciosos tesouros e açonegro, uma ancestral forma de se forjar uma lâmina. 

Agora, Alec, um iniciado dos Nove-Raios, está ávido para sua primeira missão: explorar as ruínas de um antigo castelo. Para isso, no entanto, o novato contará com a ajuda de nove Irmãos, que unidos formam uma companhia.

Nos escombros do castelo serão revelados a Alec segredos tão antigos quanto a própria Igreja, e o rapaz descobrirá a verdadeira razão pela qual o clero deseja encobrir tamanho perigo.

O livro dividido em duas partes, vai nos apresentar a poucos personagens, porém são tão envolventes que seguram a trama o suficiente para nos sentirmos envolvidos. Esse primeiro livro é como um aperitivo, que degustamos com fervor deixando um sabor viciante na boca e um gostinho de quero mais.

Logo de início adentramos em uma espécie de ritual de iniciação de um novo integrante à ORDEM DOS Nove-Raios. A ORDEM conta com nove integrantes, irmãos trajados de preto servindo ao Único com a missão de reaver preciosos tesouros para a Igreja. Em pouco tempo Alec, o novo iniciado da Ordem, já se vê fazendo parte de uma nova missão: Explorar as ruínas de um antigo Castelo encontrada por um pastor local, que pode esconder certos artefatos  anteriores a Inquisição. Assim os integrantes da Ordem partem para uma penosa excursão onde irão encontrar algo que não esperavam ou que desejariam não terem encontrado: um caixão de prata atado com correntes.

“Dê ao homem uma espada e ele lhe mostrará como sangrar uma vida; entrega-lhe o poder, e ele lhe mostrará como sangrar o mundo. ”

Em meio a tudo isso temos a jornada de outro personagem que nos é apresentado logo no primeiro capítulo de uma forma bem misteriosa. Esse personagem na minha opinião foi o mais intrigante de todos. Já no primeiro capítulo fiquei muito curiosa para entender mais sobre ele. Dallen é um sujeito que ganha a vida matando pessoas, segundo ele os bastardos as putas e os cornos. Quando chega em uma taberna para fugir dos raios do dia logo chama a atenção pela sua pele albina, sempre coberta por um velho capuz. Minha curiosidade sobre ele terá que ser saciada nos próximos livros, porque pouco nos é revelado sobre ele, principalmente sobre seu passado. Mas de uma coisa logo ficamos sabendo: ele é um vampiro. Mas um vampiro “cauteloso”, que toma o cuidado de não tomar sangue humano, porque esse o transformaria em uma besta. Sangue humano para ele deve ser tomado em raras ocasiões onde a força se faz necessária. Para as demais ocasiões ele pode beber quase que todo e qualquer sangue, como o de bovino, seu preferido.

Dallen é um personagem onde você não consegue enxergar nem tanta humanidade e nem tanta selvageria nele. Mas isso muda quando seu caminho cruza com o de uma garotinha órfã. E é assim que vemos o lado “humano” de Dallen aflorar assim como é na presença da menina que conhecemos pela primeira vez o lado “besta” emergir nem que por um breve momento.

Mas Dallen não é o único vampiro dessa história toda. Acontece que não muito longe dali a Ordem havia encontrado um certo caixão, que pelo juramento que fizeram como membros da Ordem não poderiam em hipótese alguma abri-lo. Não deveriam mas oque acontece é justamente o contrário. E o que há lá dentro nunca deveria ser despertado, uma criatura com muita sede e todo o mal que há nela agora está caminhando livremente.

Uma narrativa instigante e um final de literalmente roer as unhas. Não resta falar mais nada sobre esse livro, cujo único problema é ser curto demais e no final queremos mais páginas para saciar nossa curiosidade, algo que até o autor nos pede desculpas no final. Mas ele nos consola dizendo que virão mais e mais livros com mais páginas para nos atiçar os nervos. E ele promete: saga Devoradores do Sol está apenas no começo! Obaaaaa…..

Ficou com vontade de ler?

Então corre lá na Amazon nesse link abaixo:

https://goo.gl/gehJtQ

ou ainda um gostinho pelo Wattpad:

https://www.wattpad.com/471520026-torneio-de-sangue-%C2%A9

Boa leitura! 🙂

Saudade

A saudade se esconde, se infiltra, se instala

Ela adormece, ela acorda, ela grita, ela chora

A saudade machuca, ela fere, ela cura, ela aquece

Hoje ela veio do nada, veio de mansinho me dar um “oi”

E então uma dorzinha embargada me entalou a garganta

Foram os “EU TE AMO” que eu deixei de te dizer,

foi aquele último abraço que eu não te dei

e tudo isso se afogou em mim mais uma vez

Mas foi aí que eu lembrei do teu riso, das suas piadas

da sua felicidade descomplicada, genuína e contagiante

O mundo já ficou mais triste por perder vocÊ

mas então ele renasceu mais alegre só pela tua lembrança,

O céu ganhou mais uma estrela para brilhar pela eternidade

E meu coração ganhou mais uma prece, a do agradecimento:

Pela tua existência eternamente viva, pulsante e vibrante

Pela tua lembrança acessível, ora tangível ora sonhadora

porém nunca adormecida,

Pela nostalgia dos momentos vividos e pelos sorrisos guardados na memória;

Aquele abraço perdido eu te dei em meus sonhos, quando você apareceu 

com seus braços abertos me dizendo que tudo estava bem (…)

Eu pedia sua benção e você me dizia:

-Deus te dê fortuna!

A lágrima já não morre em meu rosto,

ela desce no meu peito e acende meu coração;

Do céu faça sua morada

Você sempre pertenceu à ele como seu nome já denunciava;

Presente desde minha existência, era inconcebível a idéia de um mundo onde você não estivesse nele,

Agora eu entendo

Esse mundo era pequeno demais para suportar seu brilho

Brilhe agora sem amarras, sem limitações

Estrela Do Céu!

(…)

 

(Para minha Vózinha do Céu)

tumblr_static_tumblr_static_6j6xdc5btgsok0ko4gk8goo8w_640