Soltar sua mão

Nós éramos dois carros em alta velocidade sempre se colidindo. Eu sei que era tão difícil para você quanto sempre foi para mim, mas eu não podia mais estender a minha mão. A última vez que nos vimos eu lhe disse que não me importava, mas Deus sabe o quanto me doeu. Eu sempre me importei, mas tive que partir. A hora bateu à minha porta, eu não queria, eu juro que não queria, mas se não fosse embora então nós dois iríamos nos afogar. Eu lia nos seus olhos tudo o que você guardava, mas eu só queria ouvir você dizer ao menos uma única vez. Éramos e sempre seriamos duas bombas prestes a detonar, eu precisava dar o primeiro passo e recuar caso contrário sei que seríamos dois aos pés do precipício. Eu sempre estive lá, sempre fui eu a segurar a sua mão, eu sei, mas dessa vez tive que soltar a minha mão da sua. Amor, sempre vou amar você, mas preciso me curar antes de pensar em te salvar  porque eu tentei, tentei milhares de vezes mas você nunca deixou. Por isso hoje vou precisar soltar a sua mão, mesmo que isso arranque mais um pedaço de mim como tantos outros que você já arrancou. Meus dedos não vão segurar os seus essa noite, me perdoe, mas dessa vez não vou ajudar você a respirar porque sou eu quem precisa desesperadamente de ar.

                                                                                                                                                                  Ksouza

 abraço

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s